all about me...:

site

livejournal

flickr dccplay

flickr dccplay2

blip.fm

tumblr

soundcloud

sábado, junho 19, 2010

Possível

"Dirão outros, em verso, outras razões,
Quem sabe se mais úteis, mais urgentes.
Deste, cá, não mudou a natureza,
Suspensa entre duas negações.
Agora, inventar arte e maneira
De juntar o acaso e a certeza,
Leve nisso, ou não leve, a vida inteira.
(...)"
José Saramago

sexta-feira, junho 11, 2010

M♥I♥A

Meio mundo cochicha mal desta capa para o novo álbum. Eu gosto bastante dela. A concretizar-se sê-la, adorarei mesmo, como já adoro (passando a redundância).

terça-feira, junho 08, 2010

Answers (for what it's worth)

"Love is of three sorts, through which three all other things are loved, some through the virtue of one and some through the power of another, according as is the thing loved and likewise the lover. The first of the which three is called honest love. This is the good, upright and loyal love the which of all persons ought to be received. This the high and first creator holds linked to his creatures, and them he ties therewith unto him. Through this the heavens, the world, realms, provinces and cities do remain in their state. Through this we do merit to be eternal possessors of the celestial kingdom, and without this is lost all that we have in power of well-doing.

"The second is called love for delight. And this is he, whose subjects we are. This is our god; him we do worship, him we do pray unto, in him do we trust, that he may be our contentment and that he may fully bring our desire to pass. Of this is put the question, whereunto we shall duly answer.

"The third is love for utility. Of this love the world is replenished more than of any of the other things. This is coupled with fortune; while she tarries he likewise abides but if they part he is then the waster of many goods. And to speak unreasonably, he ought to be deemed rather hate than love.

"Now as touching the propounded question, we need to speak neither of the first nor of the last. We will speak of the second, that is, of love for delight, to whom truly no person that desires to lead a virtuous life ought to submit himself, because he is the depriver of honours, the bringer of troubles, the revealer of vices, the copious giver of vain cares and the worthy occupier of the liberty of others; a thing above all things to be held most dear. What is he then regarding his own wealth (being wise) that will not flee such a government? Let him that may live free, following those things that do every way increase his liberty, and let vicious governors govern vicious vassals."

For every new addiction, there's always a better one to come

Estava a ver que não punham isto no YouTube. Finalmente. Uf.

domingo, junho 06, 2010

(Needing one more hero) Meeting Tipton Bond

"Houve tempos em que lhe parecera razoável utilizar as suas imensas capacidades físicas nas ciências biológicas, em que se revestiam de grande importância: utilizar a sua extraordinária habilidade na microdissecção, as suas reacções espantosamente rápidas na observação das vibrações dos colóides. A sua mente, porém, ficara insatisfeita. Havia algo de sujo na taxonomia confusa e nas conjecturas meio obscuras da biologia que não podia deixar de repelir. O rigor das matemáticas tornou-se o seu passatempo predilecto, e durante algum tempo o formalismo livre dos números e os espectros arqueados da aurora boreal ajudaram-no a esquecer as questões sobre si próprio."

sábado, junho 05, 2010

Das translações (perdão, "traduções") googlianas

Amigos cibernáuticos que estão a ler em inglês: atenção.
Pois que fui traduzir esta página no botãozinho lá em cima, assim automaticamente, e entre outras gaffes, descobri que no post do Prince of Persia, do português para inglês googliano vai a seguinte distância: "pipoqueiro" = "strawman" (... amigos que lêem em português e como eu não sabem logo à partida o que isto significa, vão à wikipédia). WTF?
Brilhante mesmo é comerem o "não" no "não me desaponta" e assim, para quem lê no tal coerente inglês, para todos os efeitos fiquei desapontado com o PoP. Pode ser que a frase que vem a seguir os/vos deixe pelo menos duvidosos, ou até confusos, porque depois de ficar desapontado, fico entusiasmado.
Visto que é para aí a segunda vez que me lembro de espreitar a "translation" deste blog, não quero pensar muito no chorrilho que tem sido, espero portanto não ter muitos leitores desaportuguesados que recorram àquela bendita ferramenta, bem como também espero melhorar a minha "técnica-de-escrita-em-português-para-que-google-perceba"...

terça-feira, junho 01, 2010

A grande cidade de Giongiu

"Quando se atravessa esta ponte, cavalga-se por trinta milhas em direcção a poente entre jardins, belas casas, albergues, árvores e vinhas. E encontra-se uma cidade chamada Giongiu, grande e bela; aqui há muitas abadias de idólatras. Os habitantes vivem do comércio e das artes; aqui se trabalham tecidos de seda e ouro e belos véus. Existem muitos albergues.
Quando se passou uma milha desta cidade, encontram-se dois caminhos, um direito a poente e outro a sudeste. Aquele que vai para poente, é o caminho do Catai e o outro, que vai para sudeste, atinge a grande província do Mangi. Sabei que se cavalga, para poente, para a província do Catai umas boas dez jornadas, encontrando belos castelos e cidades de mercadores e de artistas, belas vinhas e muitas árvores e pessoas civilizadas.
Não há mais nada a recordar; por isso, partamos daqui e vamos para um reino chamado Taiuanfu."

Arquivo do blogue